domingo, 16 de Setembro de 2007

História de Nazaré

Clikar nos videos "Amo Nazaré" e voltem aqui ao cimo da página do blog, para se ver as imagens a decorrer e perceber porque gosto tanto de Nazaré.
...............
Há muitos séculos atrás, o mar inundava toda a Nazaré, o Valado dos Frades até Fervença e a Maiorga, que ficam a poucos Kms antes de Alcobaça.

O Monte S. Bras então chamado Seano, estava rodeado pelo mar.

A pouco e pouco o mar foi recuando.

O último Rei Visigodo, Rodrigo, que após uma batalha perdida com os Mouros e sendo o único sobrevivente, fugiu de Espanha e veio refugiar-se num monte próximo - o monte S. Bras (154 m alt) - e tendo como companhia a de um frade, o Frei Romano.

O Rei Rodrigo escondeu-se mo monte S. Bras, que fica à saída de Nazaré e o Frei Romano ficou no Sítio.

Contactavam-se todas as noites através de fogueiras para saberem se estava tudo bem entre eles.

Foram eles que trouxeram a imagem de uma Senhora (mais tarde chamada de N.S. da Nazaré).

Frei Romano construiu um altar para a imagem da Santa, entre dois rochedos que caíam a pique sobre o mar e aí escavou uma galeria para se abrigar.

Durante 4 séculos, a imagem continuou escondida, pois o Sítio na altura era desolado e só foi descoberto por uns pastores em 1179.

Uns anos mais tarde, o Alcaide de Porto de Mós, D. Fuas Roupinho que gostava de fazer caçadas e o Sítio era um pinhal cerrado, até que um dia numa dessas caçadas ao veado, se deu o tão famoso milagre de N.S. da Nazaré, (desde o meu tempo de escola primária, lembro-me de ler este milagre nos livros de leitura).

Depois, D. Fuas mandou construir uma capela, (em 1182 a gruta ficou soterrada) que ficou conhecida como Capela da Memória.

Ao demolirem o altar existente para a construir, encontraram entre as pedras um cofre com relíquias, um pergaminho com o relato histórico da imagem e porque tinha ído para Nazaré e a própria imagem. E aí foi dado à Santa o nome de Nossa Senhora da Nazaré.

Por estas bandas havia muita pirataria, aqui e em algumas praias das proximidades.
A praia das Paredes da Vitória, por exemplo, que fica perto, era muito sacrificada, pois os piratas desembarcavam lá, roubavam o gado e chegavam a levar pessoas, vendendo-as como escravas.

Os habitantes dessa praia começaram a abandoná-la e mudaram-se para a Pederneira e daí para o Sítio.

No mar de Nazaré, começa uma enorme fenda, conhecida mundialmente por "Canhão da Nazaré".
É o maior da Europa, com uma extensão 227 Kms, e começa na enseada de Nazaré, a partir da Pedra Guilhim e atingindo uma profundidade de cinco mil Kms (existe uma maquete no Porto de Abrigo ).
Neste meu desenho vê-se muito bem a Pedra Guilhim (é a rocha mais pequena).Temos um submarino meio a afundar-se (ao centro) que é outra história na História de Nazaré, contarei mais tarde. E o rochedo enorme, onde assenta o Farol, é conhecido por Soberco.

Antes da Pedra Guilhim ( conhecida assim, por em tempo de pirataria haver um pirata assim chamado que se escondia atrás dessa Pedra, naqueles tempos o mar estava recuado e passava-se a pé, contornando o Soberco para a Praia do Norte) há outras rochas mais pequenas (que se vêem em maré baixa), uma delas é chamada de Pedra do Leme e as outras mais pequenas são as Rolinhas.

Livros que recomendo:

  • Pescadores e Pés Calçados
  • Expressões da Nazaré

Sem comentários: