segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Passeio Familiar

Este Fim-de-semana passado, reuni a família e partimos em viagem familiar acompanhados com os meus pais, irmã, cunhado e sobrinha e fomos visitar familia que eu já não via há anos e que os meus filhotes não conheciam.
Saímos cedo, o dia estava nublado, não estava frio nem calor, é como eu gosto do tempo para passear! Fomos directos à Moita do Norte, aqui fui surpreendida pelo progresso que alterou paisagística aos meus olhos, as recordações da minha memória! Não gostei de ver os lugares onde passei a minha infância, destronados e substituídos por cimento! As minhas raízes estão nas recordações antigas que guardei e não em alterações do progresso, esta foi a verdade a que cheguei para combater a minha amarga desilusão! Por ausência de presença, não pudemos ver todos...Mas continuemos.....

A partir de Vila Nova da Barquinha, seguimos pela estrada que acompanha da margem o Rio Tejo, passamos a Almourol, devo dizer que íamos maravilhados com a paisagem que passava pelo nosso olhar!

Haverá coisa mais bela do que a natureza em toda a sua pujança?

Eu amo a natureza e detesto as cidades cheias de gente e cimento.

Em cada curva da estrada, a paisagem fugia ao meu olhar para reaparecer na curva seguinte, eu saltava de um estado de extase para outro, inebriada com tal beleza que não encontro palavras para a descrever!

Constância , Santa Margarida! as recordações passavam por mim a velocidade rodopiante! nem precisava de fechar os olhos para me ver em garotinha à janela de um velho comboio ouvindo o pouca-terra, pouca-terra ...

E entramos em Abrantes. Eram horas de almoço e fomos almoçar ao Restaurante Fumeiro. Cada um pediu uma refeição diferente e depois partilhamos. E perdi-me na doçaria!!!
À saída do Restaurante.

As ruas em Abrantes fazem-me lembrar as ruas em Coimbra! Estreitas e labirintos.

No fim do almoço fomos à "Pastelaria Palha de Abrantes" comprar o doce tradicional:

"Palha de Abrantes"
Mas só o comemos em nossa casa.



A minha filhota Joana a "devorar"


A acompanhar estes doces vinha uma informação a qual vou aqui transcrever:

  • Abrantes, terra da palha,
  • Terra boa p´ra viver
  • com certeza não é burro
  • quem desta palha comer

  • Eu sou a palha de Abrantes,
  • feita de açúcar e ovos
  • um doce que muito agrada
  • tanto a velhos como a novos.

  • Todos os burros comem palha;
  • saber dar-lha é a questão.
  • Mas desta até os doutores
  • a comem e com razão

  • Sou famosa em Portugal,
  • meu sabor é sem igual,
  • belo brilho e linda cor,
  • que bom é o meu sabor.

  • Na Praça Barão da Batalha,
  • que Praça da palha era dantes,
  • não como qualquer palha!
  • como a palha de Abrantes!

BREVE HISTÓRIA da "PALHA DE ABRANTES"

Antigamente toda a palha proveniente do Alentejo era transportada em carros de tracção animal e depositado em cais no Rossio de Abrantes para mais tarde seguir em barcos para todo o Ribatejo.

Quando surgiram os comboios e como as viagens eram demoradas, os passageiros que vinham das Beiras e fronteira, já cansados, exclamavam: já chegámos à terra da palha!!!

Foi então que as freiras dos quatro conventos, existentes em Abrantes se lembraram de, com fios de ovos e ovos moles, baterem os ouriços (primeiro nome dado à palha). Mais tarde, deu-se-lhe o nome de Palha de Abrantes, porque os fios de ovos lembravam os fardos de palha no cais do Rossio de Abrantes.

Na escadaria da Praça Barão da Batalha.

E seguimos a visitar mais familia. Aqui também não vimos a família completa.

E seguimos viagem para o Tramagal. Conhecem ou já ouviram falar nas famosas curvas do Tramagal? pois não aconselho viagem de carro a quem tem tendência a enjoos.

E foi aqui nesta terra que nasci. Gostei de abraçar as pessoas que me são queridas. Gostei de abraçar todos, desde a primeira paragem.

E chegou a hora do lanche. Pois que eu saí de casa com alguns dos meus doces tesouros. A conversa alargou-se e "pata a ti, pata a tá " falou-se de receitas! juntou-se a nós, a Dona Etelvina com um pratinho de quadrados de Bolo de Vinagre. Sim, Bolo de Vinagre, uma delícia! e fui logo presenteada pela dita cuja, com várias receitas. O ambiente estava tão bom que me esqueci na totalidade de tirar mais fotos. As minhas desculpas muito sinceras. Prometo que um dia destes farei eu mesma a receita e postarei aqui no blog.

Como estava a ficar tarde, despedimo-os e encetamos o caminho de regresso ao meu lar, mas por estradas diferentes!

Foi lindo e inesquecível, Um dia muito bem passado! Foi bom para todos e iremos de certeza repeti-lo.

1 comentário:

tia gio disse...

Adoro passear e conheço bem toda essa zona que acho linda. Por acaso daqui a 15 dias vou dar uma volta e o regresso está programado por todos esses sitios.